Carta de agradecimento – Mãe Ana Claudia Curty

Gostaria de parabenizar o colégio pelos Jogos Integrados e, especialmente, os chefes da equipe vermelha, que foram muito esforçados e atenciosos com toda a sua equipe, incentivando, estimulando e consolando seus participante.

Lembro do primeiro dia, quando chegamos “em cima da hora”, e logo o chefe correu para abraçar meu filho Rafael, 6º ano, dizendo que estava esperando por ele.

Em seguida, as chefes Júlia e Ana Luiza, desesperadas e sem me conhecerem, me abordaram pedindo que eu “convocasse” alunos, parece que do 4º e 5º ano, para que não perdêssemos de WO. Uma delas com os olhos cheios de lágrimas, me implorava, mas infelizmente eu não conhecia ninguém das respectivas séries.

O 6º ano fez bonito e ganhou no futsal. Outros jogos vieram e eles perderam. Mas, ainda assim, seus “chefes” estavam ao lado deles estimulando-os.

Percebi, também, a humildade do chefe Lucas, quando o time adversário do 2º ano “virou o jogo” no segundo tempo e ganhou. Comentei com ele que não deveriam ter trocado o goleiro no segundo tempo, e ele humildemente reconheceu que foi um erro. Meu caçula, o Bruno, ficou bem chateado, mas teve o Lucas ao seu lado dizendo que ele havia jogado muito bem (marcou dois gols) e que não ficasse chateado.

Acho muito importante atitudes como essa, pois vejo crianças recebendo broncas por não ganharem. Às vezes, dos próprios pais. Eu sempre digo para os meus, que na vida ora a gente ganha, ora a gente perde. Faz parte da vida.

Prova disso, o Bruno teve no dia seguinte a um jogo, onde apesar de ter marcado dois gols, perdeu para o time adversário no último minuto do segundo tempo e reclamou que o colega do seu time era ruim de mira e errou alguns chutes que poderiam ter evitado a derrota. No dia seguinte, esse mesmo colega marcou o gol e ele outro. Quando o jogo precisou ser disputado nos pênaltis, ambos marcaram e perderam. Ele, que tinha reclamado da falta de mira do outro, também acabou errando e perdendo o gol. O que reforçou aquilo que eu vivo ensinando para eles.

Apesar de ter perdido o jogo, vi o lado positivo, pois às vezes, aprendemos mais com nossos erros do que com as vitórias, que muitas vezes inflam o ego, ofuscando nossa humildade.

Parabéns também pela maravilhosa iniciativa da gincana de tijolinhos (a caridade gerando pontos para a equipe), juntamente com o “maio de oportunidades”, que também foi muito interessante e bem planejado. E em ambos, a equipe vermelha obteve pontuação máxima.

Parabéns equipe vermelha!! Orgulhosa de vocês todos, participantes e chefes.”

(Mãe Ana Claudia Curty Rodrigues – aluno Rafael Rodrigues Moreira – t.: 602)

Colégio Maria Raythe - Rua Haddock Lobo, 233 – Tijuca | Rio de Janeiro - CEP: 20260-141       Telefones:(21) 2234-0733 / 2264-5474
Horário de atendimento da secretaria:  das 7h às 16:30